Visitantes

terça-feira, 6 de março de 2018

Comerciante é detido na contramão na Imigrantes


TEXTO 1

Comerciante é detido na contramão na Imigrantes
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA DA AGÊNCIA FOLHA
Um comerciante foi detido pela Polícia Militar Rodoviária ontem, pela manhã, após dirigir na contramão na rodovia dos Imigrantes por 1 km. Segundo a polícia, ele parecia embriagado.

Rogério Guedes, 31, foi abordado às 6h no km 21 da rodovia, em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo).
Ele dirigia um Corsa no sentido contrário da pista que vai para o litoral. Como o movimento de carros era pequeno, não houve acidentes.
O comerciante foi levado para a 3ª Delegacia de Polícia de São Bernardo do Campo e submetido a um exame de sangue, no pronto-socorro central da cidade, para verificar se ele estava alcoolizado. Depois disso, foi liberado.
Se o exame confirmar que ele dirigia embriagado, o motorista responderá a processo por embriaguez ao volante e pode ser detido por até três anos, além de ter a carteira suspensa. O laudo deve sair em até 30 dias.
A Folha não conseguiu falar com o comerciante na tarde de ontem. Segundo a polícia, ele ainda não tem advogado.

Outros casos

Desde o começo do ano, já são mais de dez os casos noticiados de motoristas dirigindo na contramão no Estado - - três desde sexta-feira.
Na sexta, um lavrador, de 51 anos, morreu no km 517 da rodovia Marechal Rondon, em Birigui (518 km de SP), após dirigir no sentido contrário da pista e bater em um caminhão.
José Demontie Maia dirigia uma Belina. Entrou na contramão na pista sentido capital-interior da rodovia e acabou batendo de frente com o caminhão, por volta das 20h.
Maia morreu na hora. A Polícia Civil não soube informar a distância percorrida pelo motorista na contramão. O condutor do caminhão, Valter Gonçalves da Silva, 41, nada sofreu.
Na madrugada de sexta-feira, em Campinas (95 km da capital), um acidente semelhante matou o motorista Emerson Sousa Medeiros, 32. Ele dirigiu seu carro por cerca de 2 km na contramão na rodovia Anhangüera e bateu de frente com um caminhão, por volta das 4h20, no km 103.
O motorista Josenilton Ferreira da Silva, 41, contou à polícia que dirigia um caminhão carregado com alimentos pela faixa da direita da rodovia, no sentido capital-interior e que o Peugeot 206 de Medeiros veio, de repente, em sua direção.(TALITA BEDINELLI E FÁBIO AMATO)
Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff0906200830.htm>. Acesso em: 17 set. 2014.




TEXTO 2

Na Contramão da História
Um comerciante foi detido pela Polícia Militar Rodoviária após dirigir na contramão da Rodovia dos Imigrantes por 1 km. Segundo a polícia, ele parecia embriagado.
Ao entrar na rodovia ficou surpreso em ver um carro vindo em sua direção – e aquela era uma pista de mão única. Acenou nervosamente para o motorista para que desviasse, e aí nova surpresa: o homem também lhe acenava, com o mesmo propósito. Passaram um ao lado do outro, de raspão. “Contramão!”, ele gritou indignado. O motorista do outro carro também gritou: “Contramão!”.
Ele mal se refizera do susto quando, de novo, avistou um veículo – um caminhão – igualmente em sentido contrário ao seu. E logo uma moto, uma van, e carros de passeio, e um ônibus – todos na contramão. Meu Deus, ele se perguntava, o que está acontecendo? Será que todo mundo enlouqueceu nesta rodovia, neste estado, neste país? A dúvida então lhe ocorreu: não seria ele o errado? Não estaria ele na contramão?
Não. Ele não estava na contramão, disso tinha absoluta certeza. Conhecia bem aquela rodovia, era um caminho habitual para ele. Teria havido, sem que ele soubesse, uma inversão de pistas? Talvez, mas isso não lhe tirava a razão. Uma alteração tão significativa deveria ter sido previamente divulgada; e teria sido necessário colocar avisos na rodovia.
Não. Ele estava certo, e continuaria em seu rumo, mesmo que todos os outros fizessem o contrário. Não seria a primeira vez na História que tal aconteceria. Afinal, Galileu Galilei tinha sido condenado pela Inquisição por dizer que a Terra girava em torno do Sol, quando todos afirmavam o contrário. Enfrentara corajosamente o julgamento, sem mudar de opinião. E ele não mudaria de pista. Continuaria dirigindo e fazendo sinais para os imprudentes até que todos se dessem conta da verdade.
Não demorou muito e foi detido pela polícia. O que ele aceitou com resignação. A conspiração não era só dos motoristas, era das autoridades, dos seres humanos em geral. Um dia, porém, a Verdade apareceria naquela estrada. Avançando aceleradamente, e na mesma mão em que ele estava.
Moacyr Scliar
Disponível em: <http://issuu.com/ediourosite/docs/hist__rias_que_os_jornais_n__o_cont>. Acesso em: 17 set. 2014.

Responda
1.O que aconteceu na notícia (texto 1) que serviu de inspiração par a crônica (texto2) ?
2. Quais elementos da notícia (texto1) estão presentes na crônica (texto2)?
3. O cronista usa ironia para criar o humor da crônica. Em quais passagens do texto podemos perceber essa ironia?
Ironia definição: figura por meio da qual se diz o contrário do que se quer dar a entender
Exemplo: Ele correu tão rápido quanto uma tartaruga
A tartaruga é um animal que anda devagar. Ao dizer que uma pessoa correu tão rápido quanto uma tartaruga, o que se quer dizer é que ela andou muito devagar ou mesmo que não correu. Essa comparação invertida é uma ironia.
4. Para que o cronista, antes da crônica (texto2), usa um  trecho da notícia (texto1) que lhe serviu de inspiração?

Nenhum comentário:

Postar um comentário